Pular para o conteúdo principal

A Reforma Protestante deve continuar

A Reforma Protestante deve continuar

Ouvi, alhures, um famoso ex-presbiteriano e ex-defensor da Bíblia Sagrada — o qual tem desabsolutizado e negado inúmeras verdades das Escrituras — dizendo que, se Francisco fosse o papa, no século XVI, não haveria necessidade de os reformadores terem iniciado a Reforma Protestante. Bem, vamos voltar um pouco no tempo para ver se isso é verdade.

Wittenberg, Alemanha, 31 de outubro de 1517. Martinho Lutero publica suas 95 teses, dando início à Reforma Protestante. Ao difundi-las, ele pretende, sobretudo, o esclarecimento teológico de uma questão que o envolve como confessor de seus paroquianos: as indulgências, utilizadas pela cúria romana para satisfazer suas necessidades financeiras. Mas as críticas de Lutero não se restringem às indulgências. Ele se opõe à própria existência do papado — posto que este reivindica a infalibilidade — e à maneira como o papa usa o dinheiro dos fiéis.

À semelhança de Lutero, outros reformadores, como Calvino, Zuínglio, Menno Simons, Henrique VIII, John Knox, Erasmo de Roterdã, etc. se opõem ao papado. Para eles, as Escrituras, a Palavra de Deus, não abonam a infalibilidade do papa e a alegação de que ele é o fundamento da Igreja e sucessor de Pedro.

O que mudou, desde o século XVI, para que hoje não houvesse mais a necessidade de os reformadores continuarem protestando contra o papado? Praticamente, nada! A Santa Sé ainda defende o dogma da infalibilidade do papa. Ou seja, a Igreja Católica Apostólica Romana continua afirmando que o papa — mesmo que ele carregue a própria mala e ande num carro popular —, quando delibera e define solenemente algo em matéria de fé ou moral, está sempre correto. Ela mantém, ainda, a falácia de que a linhagem de Pedro, isto é, o papado, é o fundamento da Igreja.

Ora, a pedra ou o fundamento ao qual Jesus fez referência, quando disse: "eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela" (Mateus 16.18), é a própria declaração que Pedro fizera a respeito de Cristo: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo" (v. 16). Isso se evidencia no versículo 17: ao elogiar a declaração de Pedro, Jesus afirma: "Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus".

Por que a "pedra" ou o "fundamento" no qual a Igreja foi estabelecida não é Pedro? Porque as Escrituras, que são análogas, afirmam que o fundamento da Igreja é Cristo, e não Pedro. Aliás, esse mesmo apóstolo reconheceu — pregando e escrevendo — que Jesus é a pedra fundamental da Igreja: "Este Jesus é a pedra rejeitada por vós, os construtores, a qual se tornou a pedra angular" (Atos 4.11); "Chegando-vos para ele, a pedra que vive, rejeitada, sim, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa" (1 Pedro 2.4).

Em 1 Coríntios 3.11 também está escrito: "ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo". Note que esta passagem, além de afirmar que Cristo é o único fundamento da Igreja, apresenta uma proibição tácita: não ponha outro fundamento. Em outras palavras, não ponha Pedro, João, Maria ou Francisco. O único fundamento da Igreja é Jesus Cristo!

Diante do exposto, a Reforma Protestante deve continuar. Quem disse que ela acabou? A diferença é que hoje ela é mais abrangente e abarca, também, os desvios verificados na igreja evangélica. Os reformadores que se prezam — isto é, os pregadores e escritores que primam pelas Escrituras — verberam não apenas contra os dogmas romanistas antibíblicos. Eles também se opõem firmemente contra a falaciosa Teologia da Prosperidade, as heresias e os modismos pseudopentecostais, o evangelho antropocêntrico, o legalismo farisaico, a gospelolatria, etc.

Amém? 


Ciro Sanches Zibordi

Fonte:http://cirozibordi.blogspot.com.br/2013/08/a-reforma-protestante-deve-continuar.html

Que o SENHOR tenha misericórdia de nós! AMÉM!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

5 Expressões Sem Sentido Usadas na Igreja Hoje!

As 5 expressões evangélicas mais sem sentido usadas nas Igrejas
5 – EXORTAR Essa expressão é usada de modo equivocado em 100% das Igrejas. Segundo qualquer dicionário, exortar significa “animar, incentivar, estimular”. Logo, exortar o irmão que está em pecado na verdade não significa repreende-lo. Quem está vivendo no erro não precisa de um incentivo, mas de um auxílio. 4 – LEVITA Essa morreu no Antigo Testamento. Os Levitas eram descendentes da Tribo de Levi, e eram encarregados de TODO O SERVIÇO no Templo. Mas Levita tem sido usado como sinônimo de músico. Besteira pura! Pra começar a música no serviço levítico era a menor das tarefas. A faxina, organização e carregar peso nas costas, isso sim era a parte mais importante do trabalho. Levando em conta que não somos judeus, não somos descendentes daquela tribo e também lembrando que o Templo não existe mais, então estamos dispensados do serviço levítico. Músico é músico. Ponto.
3 – PROFETA Segundo a bíblia, profeta é aquele que revela a von…

Denúncia na igreja do evangelho quadrangular!

PASTORA DENUNCIA LIDERANÇA DA IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR Comentário de Wagner Lemos (ex-membro dessa empresa que muitos chamam de Igreja Quadrangular): Como membro da Quadrangular a mais de 15 anos sei de muita coisa ali… e o que é escancarado é nossa liderança corrupta! Que vê as igrejas como empresas e sua membresia como clientes. Tenho um amigo pastor que foi designado para pastorear uma igreja Quadrangular numa cidade vizinha a nossa, e quando retornou me contou com lagrimas nos olhos: A reunião de liderança da minha região é uma vergonha! Tive que ouvir coisas como: Bater metas financeiras… Arrecadação… Propósitos… Não ouve a menção de almas! Apenas dinheiro… Parecia estar numa reunião de empresários sem ser uma… E esse vídeo que achei na internet só comprova aquilo que já sabia a muito tempo! Os pastores do alto escalão, normalmente os responsável por cada região sobrevivem das igrejas de bairro. Os pastores se viram como podem para manter a igreja e ainda enviar a porcent…

95 Teses para a Igreja de Hoje

Reafirmamos a necessidade das 95 teses de Lutero para Igreja. Há uma necessidade de uma Reforma nos dias atuais!
1 – Reafirmamos a supremacia das Escrituras Sagradas sobre quaisquer visões, sonhos ou novas revelações que possam aparecer. (Mc 13.31) 2 – Entendemos que todas as doutrinas, idéias, projetos ou ministérios devem passar pelo crivo da Palavra de Deus, levando-se em conta sua total revelação em Cristo e no Novo Testamento do Seu sangue. (Hb 1.1-2) 3 – Repudiamos toda e qualquer tentativa de utilização do texto sagrado visando a manipulação e domínio do povo que, sinceramente, deseja seguir a Deus. (2 Pe 1.20) 4 – Cremos que a Bíblia é a Palavra de Deus e que contém TODA a revelação que Deus julgou necessária para todos os povos, em todos os tempos, não necessitando de revelações posteriores, sejam essas revelações trazidas por anjos, profetas ou quaisquer outras pessoas. (2 Tm 3.16) 5 – Que o ensino coerente das Escrituras volte a ocupar lugar de honra em nossas igrejas. Que haja …