Ducha e o CRISTO Vermelho!


DUCHA E O CRISTO VERMELHO
por Lya Alves
Ducha é artista plástico nascido no Rio, em 77. Em 26 de maio de 2000, se infiltrou num evento no Cristo  Redentor – ninguém sabe como – com cinco convidados. Instalaram, sem  autorização institucional, gelatinas vermelhas nos 18 refletores que iluminavam o monumento. A  iluminação vermelha teve a duração de 45 minutos, sendo desmontada pelas autoridades. Junto com  Ducha estavam: André Amaral, Bob N, Clara Zuñiga, Geraldo Marcolini e Laura Lima. Ninguém foi preso,  mas ganharam o primeiro lugar no Prêmio Interferencias Urbanas de Santa Teresa.
Observando a intervenção do artista e de tantas outras, fico pensando em quantas mudanças pode ter o mesmo Cristo: vermelho para Ducha; verde para a Rio+20, verde e amarelo após a reforma; amarelo e vermelho apoiar a campanha de combate à Hepatite; várias cores e iluminação especial que simulava batimentos cardíacos no domingo do dia dos pais em 2009; rosa, para comemorar o outubro rosa, e muitas outras mais. Inevitável pensar: quando vamos parar de fazer imagens de Deus e adorar ao Deus vivo? Mas não fazemos isto apenas com a imagem de Deus. Em outros tempos, o diabo era vermelho, usava cavanhaque de judeu , tinha chifres e cauda em forma de seta. O diabo hoje usa terno, gravata e gel no cabelo, o diabo hoje em dia é um burocrata.
“E disseram uns aos outros: Eia, façamos tijolos e queimemo-los bem. E foi-lhes o tijolo por pedra, e o betume por cal. E disseram: Eia, edifiquemos nós uma cidade e uma torre cujo cume toque nos céus, e façamo-nos um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra.” (Gênesis 11:3 e 4)
O texto acima fala sobre a torre de Babel, e sobre o princípios de Babel.
Tijolo por pedra. Substituir pedra por tijolo era um princípio de Babel. A Bíblia diz que somos pedras vivas ( Pedro 2:5), o Senhor fala que é a Rocha , a pedra de esquina (Salmos 118:22, marcos 12:10, 1 pedro 2:7, entre outros textos). Substituir pedra por tijolo é simplesmente substituir pessoas por coisas fabricadas pelo homem. Sejam doutrinas, sejam templos construídos por mãos humanas. A igreja que adere ao “princípio Babel” valoriza mais as construções humanas do que a obra-prima da criação, feita pelas mãos de Deus: o homem.
Tijolo por pedra 2 . A burguesia gospelenta se arrepia de ouvir: “vai, vende tudo que tens e me segue”. Comunhão é convívio, mas eles, os grã-finos do Evangelho, resolvem isso muito bem com seus clubinhos gospelentos os quais chamam de igrejas. Numa igreja burguesa ninguém tem necessidades, todos estão fartos, e vivem atolados em futilidades provenientes de suas vaidades. Não é de estranhar a proliferação de igrejas em áreas da zona Sul e carência de igrejas no Nordeste ou em áreas mais pobres. A questão é simples. Jesus está onde sempre esteve: com os pobres, os humildes, os famintos, os necessitados, os excluídos, os marginalizados. Mas estas “Louis Vuitton Churchs” fazem ação social para pagar seus pecados e terceirizar a obra missionária. Claro, ação social justifica qualquer barbárie, de adultério a desvio de dinheiro. A igreja que vive o princípio Babel precisa da ação social como ideologia para manter o culto a estrutura. mas quando se trata de Evangelho, o padrão é compartilhar, conviver, porque o padrão é Cristo, e o padrão de Cristo é ser um com o Pai, cujas bases do Trono são justiça e equidade. Ação social, assistencialismo, responsabiliade social são ideologias do inferno burocrático. A missão da igreja é manifestar o amor, implantar o Reino e isto através de atos concretos e não de discursos debaixo de holofotes. claro que doar cestas básicas , levar o sopão na madrugada, oferecer cobertores e outras formas de ação social são válidas, necessárias, e são sim uma demonstração de amor. Mas os espíritas fazem isso, os católicos fazem os budistas fazem, os ateus fazem. A nossa justiça precisa exceder a dos fariseus. Comunhão é convivência, e a igreja burguesa não quer conviver com os pobres do Reino porque é alienada da comunhão com Deus. Com quem vão conversar sobre suas posses? Com que vão ostentar as cirurgias e as griffes e o ensino no exterior e as viagens caras? Com os pobres?
Se há alienação é necessária uma ideologia que a justifique. A igreja burguesa nada mais é do que um agente ideológico da Babilônia que hoje se chama igreja brasileira. Formula mentiras para desviar a atenção dos propósitos eternos, para tapar o sol com a peneira. A mesma peneira por onde um dia passarão e serão cirandados pelo diabo, ao qual servem.
Como consolo nos resta saber que a prostituta está despida e todos podem ver a vergonha da sua nudez:
“Eis que eu estou contra ti, diz o SENHOR dos Exércitos; e levantarei a tua saia sobre a tua face, e às nações mostrarei a tua nudez, e aos reinos a tua vergonha. E lançarei sobre ti coisas abomináveis, e envergonhar-te-ei, e pôr-te-ei como espetáculo. E há de ser que, todos os que te virem, fugirão de ti, e dirão: Nínive está destruída, quem terá compaixão dela? Donde te buscarei consoladores? ” (Naum 3:5-7)
Se queremos avivamento na igreja, precisamos admitir que a igreja morreu. Porque só pode ser avivado oque está morto. Enquanto ficarmos cantando vitórias e arrotando triunfalismos, permaneceremos mortos. Enquanto nos alimentarmos com as doutrinas de Babel ao invés de nos alimentarmos do pão da vida estaremos contaminados com as pragas da Babilônia e entorpecidos pelo seu vinho.
“E clamou fortemente com grande voz, dizendo: Caiu, caiu a grande babilônia, e se tornou morada de demônios, e covil de todo espírito imundo, e esconderijo de toda ave imunda e odiável. Porque todas as nações beberam do vinho da ira da sua prostituição, e os reis da terra se prostituíram com ela; e os mercadores da terra se enriqueceram com a abundância de suas delícias. E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas. “
Apocalipse 18:2-4
A comunhão que precisamos não é uma comunhão qualquer, é a comunhão com Deus, com seus propósitos e princípios. Em Babel havia comunhão de idéias, mas não havia comunhão com Deus. Precisamos voltar aos princípios e práticas do Evangelho. Precisamos ser um com Cristo e não um com lideranças corruptas. Na Babilônia ninguém é inocente.
Em Cristo
Lya Alves
Lya Alves é missionária, graffiteira, artistaarte educadora, desenhista da história em quadrinhos Guerreiros de Deus , e colaboradora do Púlpito Cristão.

Veja as outras postagens de Lya Alves no Púlpito Cristão.


Que o SENHOR tenha misericórdia de nós! AMÉM!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

5 Expressões Sem Sentido Usadas na Igreja Hoje!

Denúncia na igreja do evangelho quadrangular!

20 Escritores que eu não recomendo a leitura!