"Louvado seja EU": sobre o homem como centro da hinologia contemporânea!


 


Faz muito tempo que Deus não é louvado na igreja brasileira. A esmagadora maioria dos "hinos" cantados são focados única e exclusivamente no homem, em seus anseios mais infantis, em seus delírios consumistas. No reinado da mesmice musical, as frases, os determinismos, sempre giram em torno dessa autoajuda empobrecida que se alastrou pelas igrejas. Os novos mantras da musicalidade e(vã)gélica invasiva dos cultos, não tratam Deus como Deus, mas como um serviçal sagrado, cada vez mais vítima dos desmandos de uma gente mandona!

Não suporto mais a coreografia gospel do: "vire para o seu irmão e profetize!""dá glória!""determine!" Estive observando a repetitividade das frases de efeito: "Você é um campeão" (campeã das frases). "Você nasceu pra vencer" (agora, se dez pessoas estiverem orando por uma vaga de emprego, nove serão perdedores, né?). "Você nasceu pra brilhar""Você é uma estrela"; "Seus inimigos não vão morrer enquanto você não for exaltado na terra!" (essa é a teologia Bin Ladeniana, onde o que importa não é vencer, mas sim humilhar os que perderam).

Não suporto mais o culto invasivo. Quero ter o direito de ficar sentado. Quero poder estar triste no culto! Quero ter o direito de não cantar. Não preciso ficar em pé, abraçar o indivíduo ao meu lado ou levantar a mão para que todos saibam que estou cultuando, ou que sou vitorioso. Não preciso provar nada pra ninguém! E tem mais: se o culto é pra Deus, somente Ele pode julgá-lo bom ou ruim, e não os tais "ministros de louvor".

Isso sem falar no choro sem lágrima, a nova modalidade de "quebrantamento" utilizada pelos gurus musicais das igrejas. Aquela ladainha melosa, misturada a uma fungadinha aqui outra lá. Gente passando o lenço no rosto pra enxugar lágrimas tão falsas quanto seu ministério. Enquanto isso Deus chora - e com muitas lágrimas - por ver ao que reduzimos o louvor ao seu nome. Ele sofre pela tragédia musical da atualidade.

O homem contemporâneo tornou-se o deus de seu próprio louvor. Quando isso acontece, biblicamente só há um nome: idolatria!

Por essas e outras é que ainda amo o louvor do silêncio...
Até mais...

Alan Brizotti
Fonte: [ 
Blog do autor ]  


Maranatha, JESUS!

Comentários

Dani Moreira disse…
Concordo irmão. Mas, ainda acredito que devem existir grupos, igrejas, pessoas que levem o verdadeiro louvor e a adoração a Deus à serio. Acho que não devemos generalizar.
Porém, realmente é lamentável ver tudo isso que você citou acima, acontecendo de fato. Realmente, se estamos cultuando a Deus, não podemos julgar se o culto é bom ou não, a nossa obrigação é cultuar a Deus, adorá-lo em espírito e em verdade, louvá-lo, afinal de contas, fomos criados para isso...
Que Deus continue te abençoando grandemente.
TUDO isso é um reflexo do desvio da Palavra de Deus!!!

Voltemos para a Palavra!!

Uma boa tarde, irmão Marcio!!
Josenildo disse…
Em toda adoração deve haver louvor, mas nem sempre há adoração em todo louvor.
Josue disse…
Boa matéria, gostaria de acrescentar hoje os louvores esta sendo forçado, esse "mover" ou faça isso ou faça aquilo, somos livres e adoramos a cristo da maneira nossa, o levita deve entender o seguinte ele leva o povo a adoração a Deus, cada pessoa tem sua maneira de adorar a Deus, isso não compete ao levita em por certa regras para fazer um louvor, repito o levita leva a pessoa a adorar a Deus, a forma que a pessoa vai adorar a Deus isso é bem pessoal.Espero que eu tenha expressado a minha opinião de forma clar e objetiva.
MarceloIEVV disse…
Pura falta de conhecimento da Palavra. Precisamos de mais adoradores e menos artistas...
Eis aqui nosso consolo, irmão:
Mas faça-se tudo decentemente e com ordem. 1 Coríntios 14:40

Postagens mais visitadas deste blog

5 Expressões Sem Sentido Usadas na Igreja Hoje!

Denúncia na igreja do evangelho quadrangular!

95 Teses para a Igreja de Hoje